Hoje e Amanhã

    Ele já nasceu filho. Antes de pensar. Antes de saber. Antes de escolher. O mundo já o havia colocado nesta posição. Aquela seria a sua benção e a sua sina e ele teria uma vida inteira para lidar com ela.

Pai e Filha

    No nascimento, aos gritos, ele aprendeu a essência de ser filho. Ele galgou sua liberdade machucando sua mãe. E apesar de triste aquela cena se repetiria durante toda a sua vida. A cada pedaço ganhado no mundo era uma lágrima tirada dela.

    O menino cresceu e se tornou um homem. Ele aprendeu a ser responsável. De fato ele aprendeu que todas as suas escolhas teriam uma resposta do mundo. Que algumas vezes ele poderia não gostar, mas teria que lidar com elas.

    Quando o menino aprendeu a ser homem ele reaprendeu a ser filho. Olhou para seus pais e imaginou as responsabilidades que eles carregavam e assim aprendeu a ser mais tolerante com eles.

     O homem se tornou pai. Tudo que ele já pensava saber sobre responsabilidade não passava de história de criança. Agora ele aprendeu a se dar. Aprendeu a realmente amar e sofrer.

     O filho muda ao sentir a aflição que seus pais sentem. Ele finalmente compreende o que é abrir mão do hoje pelo amanhã. Sentado ele observa sua mãe e sua filha juntas e seus papeis de pai e filho se misturam.

    Uma bela mulher passa. Ele a observa. Agora é o homem solteiro que esta no comando. Ele Olha, sente o cheiro e o olhar dela. Mas sua mãe o olha e ele volta a ser um garotinho. Sua filha o olha e rouba toda a sua atenção. Que mulher pode competir com ela?

    Ele a abraça novamente no papel de hoje. Sabendo que ela é o seu amanhã.

Presente

    Eles se conheceram da maneira mais inesperada possível. Olhares, sorrisos, caras e bocas. Tudo foi muito rápido, de desconhecidos a namorados em menos de uma hora. Um verdadeiro conto de fadas entre a princesa e o ogro.

    Após uma semana juntos já é aniversário dela. Ele tem que escolher um presente. Mas como escolher algo pessoal, algo especial se eles só se conhecem há uma semana?

    Ele pensou em perfumes. Na mesma hora lembrou do cheiro dela, daquela fragrância doce e daquela química perfeita. Ele sabia que nenhum perfume era melhor que o cheiro dela. Pensou em flores, toda mulher gosta de flores, mas ela não é uma mulher qualquer, ela é especial e merece um presente como ela.

    Roupas, bombons, sapatos. Nada parecia encaixar. Nada parecia bom. Ele era um ogro que não gostava de dar presentes, ele não gostava de estar apaixonado e agora estava quebrando a cabeça atrás do presente ideal.

    Quando ele já estava a ponto de desistir de tudo, ele colocou seus sentimentos em um papel.  Criou o presente mais caro e mais barato. Ele entregou o papel com um cartão e uma dedicatória: “Receba um pedaço de minha alma nua”.