Amanhã?

Ele acordou de uma maneira diferente. Lembrou do sonho da noite passada, lembrou do filme que viu e não queria que sua vida fosse a mesma coisa de sempre. Finalmente decidiu mudar e fazer o que realmente queria, sem se importar com as grades sociais que o impediam de viver seus sonhos.

Nossa grande guerra é uma guerra espiritual. Nossa grande depressão é a nossa vida.{Fight Club }

Ele não foi ao trabalho, quis sair pra conhecer aquela parte da cidade que sempre passava em sua mente, como um lugar interessante, mas nunca como uma memória. Aproveitou cada passo, cada vista e pode apreciar os detalhes que a cidade escondia.

O andar pelas ruas era diferente, ele sentia as outras pessoas diferentes. Ele sentia que depois daquela noite ele não poderia voltar a ter o mesmo comportamento, que não poderia se acomodar novamente e viu cores onde antes não existiam.

Parou para ver um músico de rua que tocava um instrumento exótico, mas que fazia com que o ouvinte viajasse junto. Tentou lembrar por que nunca saiu do país, por que nunca fez as viagens que tanto sonhou. Depois de pensar muito culpou o trabalho, a família, os amigos e a obrigação… mas, no final, culpou a si mesmo por se deixar prender. Ele não era mais o mesmo e isso não iria mais acontecer.

Lembrou que sempre amou sua amiga de trabalho, mas por medo nunca disse nada, nunca se declarou, nunca se arriscou por um sim. Ele caminhou ate o trabalho, com duas satisfações distintas: a de não estar indo forçado a esse lugar pela primeira vez e de ir finalmente expor suas emoções para sua amada.

Ele a olha de longe ela esta de cabeça baixa olhando para uma foto dele. Ele se aproxima, feliz por saber que ela também sente algo por ele. Ele olha para o rosto dela e as lagrimas estão escorrendo nas duas faces, ele chora de felicidade e ela de tristeza pela morte do amigo.