Duvidas ou Certezas

Imagino como Hércules se sentiu ao concluir os 12 trabalhos, a sensação do dever cumprido, as graças recebidas… tudo isso fazia as feridas parecerem menores e as dores suportáveis.

pensamento

Sua certeza o guiava, sua fé o fortalecia e, acima de tudo, os poderes herdados de seu pai o faziam seguir sempre à frente (mas como ter certeza sobre a direção se questionarmos e/ou olharmos para trás?).

Trabalho a trabalho, sem pestanejar, sem vacilar, sem duvidar… ele seguia dia após dia fazendo o que dele se esperava: brandir a espada, um monstro morto por vez,  os malvados, os indesejados… os diferentes.

A Hydra era o pior, para cada cabeça cortada, duas novas surgiam; para cada resposta encontrada duas novas perguntas; para cada direção, uma escolha e cada escolha, uma dúvida. Não! Isso era demais, esse era o pior monstro e quando a espada não podia vencê-lo o fogo cauterizava as cabeças e as perguntas sumiam.

A Hydra com suas duvidas foram extirpadas, pela espada, pelo fogo e pela certeza.  Aquelas coisas diferentes de nós foram colocadas em seus devidos lugares e nós governamos o mundo, cheios de certezas e sem duvidas.

Ícaro ousou se aproximar do Sol… usou a imaginação e voou na direção do conhecimento. Prometeu ousou pegar o fogo do desejo… mas foi eternamente queimado. Qual será o próximo medo criado para justificar o sacrifício de mais um prazer… mais uma liberdade?