Bicho Homem

O que fazer quando a vontade se esvai? Quando a força falha? Quando a crença em si é perdida?

Nunca teve problemas com as dificuldades. Para ele elas eram apenas um obstáculo. Apenas um aprendizado. Quando a vida lhe machucava ele batia de volta. Com mais força. Com mais vontade. Cada problema era uma maneira de melhorar.

Ele continuou. Chuva. Sol. Só o seu sonho importava. Cair era inevitável. Levantar era necessário. Cada vez mais consciente de suas habilidades e de suas limitações, ou melhor, das coisas que ele tinha que melhorar. Não conhecia limites. Essa palavra não existia para ele.

Não se importava com a maneira que as pessoas o olhavam. Era dono de si. Nasceu lutando. Brigou com o mundo desde o primeiro momento. Criança forte, cresceu apanhado e revidando. Só olhava para trás para manter sua obstinação. A vida foi dura, o tratou como bicho. Ele aceitou a carapuça e se vestiu de bicho. Criou garras, prezas, destreza e coragem.

Quando nasceu foi tratado como um verme. Jogado em um canto, entregue ao acaso. Aprendeu neste momento que nada viria de graça. Então fez tudo que podia. Gritou.

Na infância foi um rato. Se escondendo, sujo, comendo restos, indo de um canto para o outro. Sem uma casa, sem proteção. Seus dentes e mão eram suas armas. Seu abrigo era embaixo dos viadutos e seu restaurante a lata de lixo.

Sua adolescência lhe revelou um novo mundo. Aprendeu a roubar, virou gato. Se escondendo, sendo ágio, esperto. As dores, tanto físicas quando psicológicas, o ensinaram a estar sempre um passo a frente de todos.

Cresceu machucado, forte e feroz. Se tornou um leão. Agora mandava nos outros gatos. Era seu bando, sua família. Ele era o rei naquela selva urbana. Nunca disse ‘por favor’ ou ‘obrigado’. Nunca recebeu uma gentileza. O mais forte sobrevive. Foi o que a vida lhe ensinou.

Ele sentiu o gosto do ferro. Primeiro da lamina, depois do sangue. O mundo ficou vermelho. Nunca viu o mar e agora se afogava no seu próprio sangue. O vermelho se tornou negro e ele não pode ver o nascimento do outro leão.