Tempos Modernos

“…quanto do teu sal são lágrimas de Portugal, por te cruzarem…”. Tempos passados, perigos diferentes, distâncias maiores, mas a ausência é a mesma.

Hoje navegamos sem sair de casa., visitamos outros países, outras línguas, outra cultura, tudo de forma segura, fisicamente falando. Podemos ter “amigos” em todas as partes do mundo e falar com eles o tempo todo. Estamos, virtualmente, vivendo uma sociedade sem fronteiras, mas no final vivemos em uma solidão coletiva.

Um novo mundo

É uma coisa estranha, inventamos os meios de transportes para diminuir as distâncias, evoluirmos nossos meios de comunicação até chegar nessa coisa instantânea que temos hoje, nada de espera um mês ate a carta chegar ao destino. Porem algo foi perdido no meio do caminho, pois criamos ilhas onde cada um se esconde, onde cada um se alimenta, onde cada um vive, mas virtualmente estamos juntos.

Engraçado o quanto somos bonitos, inteligentes, divertidos e autoconfiantes na rede. Ela parece um espelho , não por mostrar nosso reflexo perfeito, mas por mostrar exatamente o contrario de como somos. Se me movo para a direita, meu reflexo vai para a esquerda. Se sou tímido, na rede sou “O” descontraído, adiciono todos, mando mensagens para todos, comento sobre tudo, lá sou um Super-Homem.

Ôpa, mais uma mensagem!!! Hoje a noite vai ser longa, muitas listas, muitas comunidades, muitos amigos. Só estou esperando pela invenção que vai permitir sentir fisicamente através da rede. Ai quero ver qual vai ser o mundo real.

Comentários