Terra do Sempre

Ele acordou um dia e decidiu que não queria crescer, que queria sempre ser criança, brincando, correndo e se divertindo. Disse que seria um Peter Pan nesse mundo cheio de conceitos tradicionais, que não iria casar, ou melhor, que não podia casar. Disse que não queria ter filhos, nada de responsabilidades.

O sonho se torna realidade.

A vida seria uma eterna brincadeira com suas idas e vindas. Sempre livre para sonhar. Sempre livre para fazer o que quiser, sem preocupações com o amanhã. Dormir onde e quando quiser, sentir o que quiser. Ninguém lhe colocaria arreios e o obrigaria a se encaixar nesses padrões chatos.

De tanto procurar ele achou sua Sininho. Achou sua fada que iria guiá-lo em seus sonhos. Não para a terra do nunca, mas para a terra do sempre. Agora, eles não eram sonhos de menino, pois sua fada era real e os tornavam realidade. Eles podiam voar juntos por praças, bosques, praias, pelo mundo. Sua fada o ensinou que crescer não é ruim. Que ele teria que fazer coisas que não gostava, mas que não podia parar de sonhar e acreditar nela.

O tempo passou, o menino cresceu com a fada ao seu lado. A fada pensava que ele cuidava dela, mas na verdade era ela que cuidava dele. Mantendo a chama acessa, mantendo sua mente sã, mantendo-o feliz.

Já é manhã, o antigo menino tem que ir trabalhar. Ele se despede de sua fada com um beijo carinhoso. Ela o olha nos olhos, ainda consegue ver o mesmo menino sonhador e diz:

_ Tchau papai.

Comentários

  1. Extraordinário como nossa reedição atualizada e com suas especificidades- “filho(a)”, nos perpetuam sim,nosso crescimento com uma aguda e enorme alegria;e todos os dias com certeza não nos fazem crescer de igual maneira;tua criança so te enriquece!!! Digno de um papai intelectual, que está em constante evolução. …Parabéns pela produção!!!!