Vai quem quer

Ao olhar para uma praia, suas belezas, formações e desenhos, é possível entender porque existem rochas nas laterais formando penínsulas e praias com areia no centro, dando à elas a característica forma da letra “U”.

Vamos falar do amanhã…

No começo, todas aquelas formações eram um só paredão de pedras que devido as lutas com as ondas foram deformadas. As pedras fortes suportaram as ondas e aprenderam a se adaptar e continuar no mesmo lugar de origem. As fracas foram definhando, recuando e ficando restritas a grãos de areia, cada vez mais distantes de suas irmãs.

Com o ser humano acontece o mesmo: Homens e mulheres nascem feitos de rochas e com possibilidades de estarem no mesmo lugar ao sol. Os fortes suportam as ondas e se adaptam às mudanças. A vida os pressionam e eles crescem se modificando e fortalecendo. Os demais, fracos ou que não aceitam as mudanças, vão definhando, recuando e se transformando em sombras das pessoas que já foram.

Os primeiros olham para trás e veem que avançam mais e mais. No entanto, a verdade é que são os segundos que recuam mais e mais, se escondendo, fugindo e fechando suas mentes.

As mudanças que passamos hoje, são passos necessários para melhorias. Adaptar-se e aceitá-las é a chave para seguir adiante. Essa verdade aprendida com a natureza pode ser negada por algum livro ou por pessoas que mantém o poder sobre outras, jogando com suas mentes e esfarelando-as até o ponto de sombras de fantoches, mas, ainda assim, as ondas da vida não param.